Dicas e Tutoriais

Fotos privadas: você sabe a importância de proteger suas fotos?

Escrito por Paixão Câmeras

A internet facilita a vida de muita gente na hora de expor e divulgar trabalhos. Mas a facilidade com que se copia e cola também traz uma nova dinâmica para quem exibe a produção on-line. Pensando nisso, elaboramos este artigo para falar da importância de proteger suas fotos e, claro, dar dicas de como fazer isso.

Vamos explicar a importância dos créditos em fotos privadas, do uso de marcas d’água para evitar compartilhamentos sem autorização e noções de direito de imagem. Tudo para você continuar a exposição do seu trabalho de forma protegida.

Use marca d’água como assinatura das suas fotos

Alguns fotógrafos, ao longo da carreira, desenvolvem técnicas de luz e ângulos que se tornam verdadeiras assinaturas. Ou seja, é possível reconhecer quem clicou só de olhar a imagem. No entanto, mesmo os grandes mestres estão sujeitos aos “piratas da internet”, gente que compartilha ou se apropria das obras sem dar os devidos créditos.

Além do reconhecimento, os créditos são importantes para facilitar o rastreio do material, saber onde ele é exibido e se algum uso indevido está sendo feito dele.

Uma solução interessante neste sentido é usar uma assinatura em formato de marca d’água. Ela não impede a visualização da imagem, é difícil de ser removida e leva o nome do autor da foto onde quer que seja compartilhada.

Entenda o que é direito de imagem

Quando um fotógrafo não tem o material devidamente creditado ou vê a obra sendo usada indevidamente, sem autorização, ele pode recorrer à lei de direitos autorais de imagem. Ela  garante ao autor total propriedade e direito de decidir o destino delas. Veja agora alguns tipos de direito autorais e como usá-los:

  • Copyright: dá ao autor autonomia total sobre o uso, reprodução e comercialização de sua obra. Um trabalho é reconhecido como tendo seus direitos em copyright com a frase “todos os direitos reservados” e, para que uma pessoa use esse material, tem que pedir permissão por um tempo determinado;
  • Copyleft: é o direito usado quando o produtor permite que terceiros usem, modifiquem e melhorem o material, desde que tudo o que foi criado/transformado continue com essa mesma permissão. Não permite uso comercial e requer atribuição ao autor original;
  • Domínio Público: obras classificadas dessa forma são totalmente livres de direitos autorais, gratuitas e podem ser usadas para qualquer tipo de reprodução.

Saiba como proteger suas fotos privadas

Já sabemos que o uso de uma marca d’água para identificar a autoria de uma imagem é um recurso bastante válido e ajuda a identificar aquela obra no mundo, onde é usada. 

Para isso, é importante que você desenvolva uma logomarca — que pode envolver seu nome e um desenho que identifique você, sua empresa e/ou a identidade do seu trabalho —, e insira em todas as suas fotos.

O posicionamento escolhido, em geral, é nas extremidades, para que não atrapalhe a visualização do material. No entanto, para imagens muito importantes, que podem receber cortes nas extremidades e ainda assim ter comunicação visual garantida, alguns fotógrafos optam por colocar a marca d’água no centro.

A colocação pode ser feita com programas de edição de imagens no computador, como o Photoshop, e algumas versões também para o celular, como o Logo Licius.

Como vimos, o uso da marca d’água é um recurso importante e efetivo para proteger o direito autoral de fotos privadas. Elas ajudam a garantir que essas imagens sejam compartilhadas com o nome do autor e ajudem no rastreio. Essa identificação pode conter ainda o tipo de direito autoral a que está submetida e as sanções que podem ser aplicadas caso seja desrespeitado.

Se você curtiu as informações sobre fotos privadas, proteção e direito de imagens, que tal compartilhar esse artigo nas suas redes sociais?

Sobre o autor

Paixão Câmeras

Deixe um comentário