Dicas e Tutoriais

5 dicas indispensáveis para tirar boas fotos com movimento

Escrito por Paixão Câmeras

Se você está de olho em novas técnicas e possibilidades fotográficas, precisa conhecer o efeito panning. Trata-se de um tipo de foto com movimento que mantém um tema em foco enquanto o fundo da imagem fica borrado, arrastado. A técnica é obtida diminuindo a velocidade do obturador, que acaba dando essa sensação de movimento no clique.

Neste post, vamos dar cinco dicas para você conseguir esse resultado. Mostraremos como ajustar as configurações da sua câmera adequadamente e como manter o equipamento firme para não alterar o clique. Continue lendo e aprenda já! 

1. Ajuste o obturador

Para obter o panning, você deverá configurar a velocidade do seu obturador para um nível bem baixo. Com isso, o tempo de exposição será maior e você conseguirá “congelar” o objeto que se move para “distorcer” o fundo, dando a sensação de que este está em movimento.

Mas não basta apenas mexer na velocidade do obturador. A técnica exige que a sua câmera “acompanhe” o objeto principal a ser focado. Assim, ele será congelado na imagem e o fundo é que parecerá se mexer.

Quanto menor a velocidade e o tempo de exposição para a captação do clique, mais fundo da imagem ficará desfocado. Interessante, não?

A questão é que, com a velocidade do obturador em baixa, as chances de a imagem sair tremida são grandes. Ou seja, você precisará fazer um movimento muito cuidadoso na hora de seguir o seu objeto com a câmera para que consiga focá-lo, clicá-lo e borrar só o fundo para conseguir o efeito panning.

2. Tente não mexer muito a máquina

Aqui está a mágica na hora de fazer foto com movimento. Afinal, como não mexer muito a máquina tendo que seguir o objeto em movimento? Como explicamos, a velocidade baixa do obturador aumenta o tempo de exposição do objeto fotografado e, para que ele saia em foco na imagem, é preciso segui-lo.

A questão é que qualquer movimento mais brusco com a velocidade baixa pode dar um efeito tremido na foto toda. A solução? Ter uma mão firme. Se preferir, pode recorrer a um tripé ou monopé para casos em que o clique exija uma interação maior.

Esses itens permitirão que você movimente a máquina de forma mais uniforme e leve, de modo a seguir o objeto que quer clicar e reduzir as chances de tremor na imagem. 

3. Adeque o sincronismo

Máquina ajustada, tripé ou monopé na mão e você está pronto para fazer o seu primeiro panning. Não tão rápido assim!

Para conseguir um efeito ideal na foto, você precisará ter sincronismo na hora de seguir o seu objeto. Não entendeu? Imagine ter que clicar um carro de Fórmula Um em panning. Sua intenção é obter a imagem do veículo como se estivesse parado e o seu fundo todo desfocado, dando a ideia de movimento.

Já vimos que, para fazer isso, teríamos que baixar a velocidade do obturador e “seguir” o movimento do item fotografado com a máquina. Ou seja, para clicar um carro de Fórmula Um, você teria que mover sua máquina rapidamente na hora em que ele passasse para, de fato, fotografá-lo. Entra nesse momento a variável da movimentação brusca e o perigo de tremer a foto.

A solução? Praticar muito para adequar o sincronismo entre máquina e velocidade do objeto fotografado (e não esquecer do tripé ou monopé). Comece praticando o panning com itens de menor velocidade: alguém caminhando, uma criança correndo etc.

Vá fazendo os ajustes necessários nesse sincronismo até conseguir captar bem o seu objeto. Aproveite para testar diversas velocidades de aberturas do obturador para experimentar os efeitos dados na foto: mais borrado, menos movimento.

4. Controle a incidência de luz

Outro item que precisa ser bem controlado na hora de fazer uma foto com movimento é a luz. Isso porque, quanto maior a incidência de luz, maior a dificuldade em conseguir uma boa exposição do clique com o obturador em grandes tempos.

A dica é usar o flash no modo manual e testar qual potência e iluminação funcionarão melhor para a captação da imagem que você quer fazer. Quase uma equação matemática, em que a velocidade de exposição é diretamente proporcional ao foco do objeto, desfoque do fundo e entrada de luz na câmera.

Outra dica é deixar que o flash de sua máquina dispare no final da exposição, em esquema de segunda cortina. 

5. Mexa no foco

Você também pode fazer alguns ajustes no foco para assegurar o sucesso de sua foto em panning. Em geral, no começo, é comum que os fotógrafos façam o foco automático, já que têm um item em movimento para se preocupar.

No entanto, os profissionais mais experientes, que sabem qual é a trajetória que o objeto fotografado vai fazer, costumam utilizar o chamado foco de zona. Trata-se de um pré-foco no local em que a imagem vai “terminar” a sua trajetória para clique.

Ou seja, você faz o pré-foco, mas só aperta o botão do obturador quando o objeto passa no ponto exato pré-focado. Para itens que ainda não têm um caminho definido para percorrer, a melhor solução é usar o foco automático.

Como vimos, o efeito panning ou a foto com movimento exige um pouquinho de prática e conhecimento por parte de seus adeptos. É preciso se entender bem com o tempo de exposição do obturador, com o sincronismo do seu movimento em relação ao do objeto fotografado e, ainda, com as ações bruscas que podem tremer a sua foto.

Depois, é preciso ter atenção com a incidência de luz no obturador e com o foco, que pode ou não ser automático. No entanto, quem consegue dominar a técnica obtém efeitos belíssimos de sensação de movimento na imagem. E a dica maior, que salva todos os fotógrafos, é praticar, praticar e praticar.

Agora que você já sabe tudo sobre o panning ou foto com movimento, que tal conhecer cinco técnicas de fotografia que são de cair o queixo? Confira e atualize seus trabalhos!

Sobre o autor

Paixão Câmeras

Deixe um comentário